Google Analytics e Adobe – facilitando a sua vida

Há um tempo atrás, postei uma forma de se monitorar páginas em Flash ou Ajax com o Google Analytics. Até aquele momento está era a única maneira “oficial” de se fazer isso e recomendada pelo Google.

Agora foi liberado pelo Google juntamente com a Adobe uma classe escrita em AS3 que facilita a coleta e monitoramento de informações através do Analytics.

Segundo o Google, esta classe contem todas as funcionalidades da versão Javascript e é totalmente compátivel com a última versão do ga.js (arquivo que deve ser incluído nas páginas que utilizam o Analytics).

Os arquivos disponibilizados já estão compilados, porém o projeto é opensource (licensiado pela Apache 2.0 license) e quem estiver interessado pode baixar o fonte para ver a implementação (por curiosidade, necessidade ou para ajudar).

Usar Google Analytics para páginas em Flash ou Ajax? É mole…

Não sei se é de conhecimentos de todo, pelo menos para mim não era.

Para quem não sabe, Google Analytics é um serviço do Google que permite coleta e acompanhamento de diversas informações de uma página na internet, como número de visitas, origem das visitas, tempo de permanência na página, palavras chaves usadas para chegar até sua página e várias outras. Ou seja, indispensável para quem desenvolve para web (indispensável o tipo de ferramenta, existem alternativas, como o Yahoo! Web Analytics).

Para os que conhecem: uma coisa que sempre me “frustou” foi ter meus trabalhos em Flash (Ajax entra no mesmo ramo, apesar de não ter nada publicado ainda) não terem a mesma facilidade para coleta e acompanhamento de informações. O máximo que conseguia era saber de onde o individuo havia chegado, quanto tempo permaneceu no site e as palavras chaves mais comuns. Mas apesar do Google indexar o conteúdo dos arquivos em Flash, eu não podia, por exemplo, saber quais partes do site/apresentação recebia mais visita.

Agora meus problemas acabaram(-se): A resposta para o problema é 42.

Bom, na verdade a solução deveria ser óbvia para quem conhece a API ou o sistema de coleta de informações do Google, mas ainda não havia reparado no óbvio: é só fazer uma chamada a função _trackPageview();
Essa função é incluída em nossas páginas no meio do código que o Google nos passa na hora que criamos a conta no Analytics.

O interessante é que essa função aceita um parâmetro, e é esse o ponto da solução, é só dizer que “seção” do site a pessoa vai estar entrando ao clicar em um link que ela será computada pelo Analytics.

Seguindo o exemplo fornecido pelo PRÓPRIO:

seuBotao.addEventListener( MouseEvent.CLICK, this.clicked );
function clicked(MouseEvent e):Void
{
    getURL("javascript:pageTracker._trackPageview('/contato')");
}

Com este código, quando alguém clicar no botão “seuBotao”, será invocado a função clicked e nela será chamada a função javascript do Analytics, dizendo que a pessoa está acessando a pasta ‘contato’. Notem que a pasta ‘contato’ não precisa existir, pode ser um arquivo ou o que você achar melhor. Depois é só entrar no painel do Analytics e conferir as novas informações.

Supimpa, não?

Liberando tudo… (nem tudo)

Como prometido, pretendo falar a qualquer momento sobre programação em ActionScript 3, esta linguagem que é vinculada ao Flash, Flex e agora ao Air, todos da Adobe.

Antes de começar, irei disponibilizar um sistema que iniciei e não terminei, feito puramente em AS3.0. O projeto consistia em um sistema para auxiliar no cadastramento e recadastramento dos armários administrados pelo Centro Acadêmico de Ciência da Computação da UFMS. Ele começou como exercício de estudo meu e de alguns amigos, usando ActionScript 2, mas logo no início todos desanimaram, onde eu fui a única excessão. Como já trabalhava com AS2 e tinha curiosidade de mexer com AS3 resolvi reescrever tudo o que havíamos feito usando AS3 e implementar o que faltava. Até que cheguei no ponto onde necessitava de uma linguagem externa para manipular um arquivo XML.

Por questões de infra-estrutura( local onde o sistema rodaria ), optei por usar o Java, e pedi a um amigo que fizesse a implementação. Ele o fez, mas eu acabei não integrando ao sistema pois já havíamos feito todo o trabalho daquele ano manualmente.

Agora estou liberando todas as classes que utilizei para que quem quiser ajudar, ou estudar possa fazer.

Bom proveito.

ps.: Estarei explicando mais pra frente o que cada classe faz.
ps2.: A versão do SuSE que utilizei no primeiro contato com um GNU/Linux foi 8.2

sistema-armarios

Diário de bordo

Tentando manter este espaço ativo, irei relatar minhas últimas atividades, e talvez as futuras.

Como comentei no post anterior, terminei a pouco o novo site para a Empresa de Análise Ambiental – Anambi, e como fiz a página utilizando o Adobe Flash e ActionScript2 ( não utilizei o ActionScript3 por conta do flashplayer ter de ser mais novo e reduzir o número de possíveis clientes ), os problemas que encontrei e como contornei. Acredito que será uma boa troca de experiência ( tem até uma parte de SEO, gostaria de saber se o que fiz é o melhor ou não ).

O PHPMS organizou o TestFest que havia comentado, e estive lá com a rapaziada. Foi divertido, apesar de não termos conseguido fazer muitos testes ( o sistema de testes é impressionante ), conseguimos discutir bastante sobre as funcionalidades do PHP 5.3. Tiramos algumas fotos e fiz um pequeno video, que estou upando para o YouTube neste exato momento. Se estiver interessado em ver, o enderço para as fotos é: http://www.flickr.com/photos/26464783@N02/ e para os videos veja em: http://br.youtube.com/phpms.

Por falar em video, trabalhar com video foi extremamente complicado pra mim. Como não tenho intenção nenhuma de mexer com esta área, não quero comprar nem aprender a usar programas complexos para edição de videos, e achar uma programa simples para isso é uma tarefa quase impossível, tanto no Windows quanto no Linux. Estou usando o openSUSE e o Windows Vista Business, e em ambos os sistemas tive muita dificuldade para conseguir fazer uma edição dos videos. Na verdade, no openSUSE eu nem consegui faze-lo. O programa simplesmente parava de responder toda vez que tentava adicionar um arquivo. Já no Windows eu tive de baixar o Nero e utilizar o Vision, já que o Movie Maker insistia em travar toda vez que tentava “compilar” o projeto.

Alguém aí já trabalhou com videos no Linux? Estou tentando abandonar o Windows de vez e uma das coisas que ainda me prende nele é descarregar minha filmadora ( uma Sony DCR-DVD, sem porta FireWare, que por acaso só tem driver para Windows ) e um programa para trabalhar com os videos descarregados. Alguem saberia um programa para fazer isso?

Voltando a ativa ( no bom sentido )

Faz muito tempo desde a última vez.

Estou fazendo este post para avisar 3 coisas:

  1. Estou vivo, sim, estou. E voltarei a fazer posts, com relativa frequência. Acabei com alguns serviços e agora estou tendo tempo para respirar, e até escrever;
  2. Sábado agora o PHP-MS estará organizando seu primeiro TestFest, trazendo o evento que é mundial para este fim de mundo. Para maiores informações, visitem o endereço do grupo: www.PHPMS.org, o evento será realizado na PetCursos de Campo Grande.
  3. Acabei de entregar um novo site para a Anambi – Análise Ambiental, um trabalho que gostei muito de fazer ( matei um pouco da saudade do velho Flash e o ActionScript ). Procuramos fazer junto com a empresa um site que fosse leve, agradável e que valorizasse a relação que a empresa tem com o meio ambiente. E aproveitando este embalo com o Flash, nos próximos posts estarei falando sobre alguns problemas enfrentados e como contornei os mesmos. Espero poder trocar experiências com vocês.

É isso, até breve( desta vez será breve mesmo).